terça-feira, 21 de março de 2017

Mergulhando com tubarões!


Fechar um roteiro na África do Sul não é dos desafios mais fáceis. Sério, é tanta opção que você fica louco. Opção de lugares diferentes no país e opções de passeios e atividades em cada lugar. Bom, mas o limite de tempo e grana acaba mesmo impondo escolhas, e é por isso que eu resolvi escrever porque eu considero imperdível o mergulho com tubarões em Gansbaai.


Você pode mergulhar com tubarões em outros lugares do mundo, é fato, mas provavelmente não conseguirá condições mais propícias do que na África do Sul, especificamente em Gansbaai, cidade a 160km de Cape Town. A primeira vantagem já é esta: estar a pouco mais de 2h de Cape Town, a cidade mais turística do país, e que provavelmente estará no seu roteiro mesmo. Gansbaai é uma cidadezinha litorânea que tem no turismo e no veraneio local importante fonte de renda, e sua principal atração é certamente o mergulho com o grande tubarão branco, o que faz a cidade ter dezenas de empresas que realizam o passeio, e assim preços mais competitivos. E o motivo é bem simples de entender. A cerca de 10km do porto ficam duas pequenas ilhas, uma habitada por pinguins, outra habitada por focas, dois dos principais pratos da dieta do grande predador dos mares... ai já viu, né? A região está sempre cheia de tubarões brancos a espera de um vacilo numa ou noutra ilha. E adivinha onde ficam os barcos para os mergulhos? Claro, no meio das duas ilhas. As chances de ver os bichões são enormes, tanto que algumas empresas prometem seu dinheiro de volta se não os conseguir ver.


Essa é a gaiola que ficamos, presa à lateral do barco.
Além disso, dada a facilidade em vê-los, não há necessidade de mergulho com cilindro ou mesmo snorkel, e portanto, não precisa ter nenhuma experiência ou habilidade prévia. Basta coragem mesmo! Inclusive, crianças a partir de 8 anos são permitidas na maioria das empresas (mas confira sempre a informação). O mergulho é feito assim: o barco para no lugar estratégico e uma gaiola retangular com capacidade para 7 pessoas lado a lado é presa com boias na sua lateral - sim, somos nós quem ficamos presos na gaiola, os tubarões estão soltos no seu habitat natural, e aparecem se estiverem a fim. Para o mergulho é fornecida uma roupa com capuz toda em neoprene bem grosso para suportar a baixa temperatura da água (e bota baixa nisso), uma bota também em neoprene e um óculos de mergulho que tapa o nariz. Assim, você só terá expostas as mãos e partes do rosto - parte da testa e a região da boca, por onde você vai respirar. Eles dizem que você pode ficar com sua roupa normal por baixo da roupa de mergulho, mas a verdade é que sempre molha um bocado, e eu indico que você a vista por cima de roupas de banho mesmo, ou leve roupa seca para trocar. Também acho legal levar toalha extra, mesmo que eles ofereçam toalhas secas logo que você sai da água - a água é muuuito fria, e principalmente se você for repetir o mergulho, vai precisar de nova toalha seca ao final do segundo mergulho. A tampa da gaiola é aberta e é por aí que cada um vai entrando até estarmos todos alinhados lado a lado, e então a tampa é fechada novamente. A partir daí as regras são simples: nada de colocar qualquer parte do corpo ou equipamento para fora da jaula - até dá vontade, viu, porque às vezes eles passam pertinho demais, mas quem tem coragem???


Dá pra ver onde nos seguramos? Tem uma barra igual embaixo para apoiar os pés.
Ainda em terra, na sede da empresa, é feita uma demonstração de como deveremos nos posicionar dentro da jaula: tem uma barra embaixo para apoiarmos os pés e outra em cima para segurarmos com as mãos, enquanto nossas costas devem ficar encostadas na grade de trás da jaula, que fica encostada no barco, e você deve ficar com a cabeça fora d'água até que os tubarões se aproximem. Ah, no momento de entrar na jaula é colocado um cinto com pesos na nossa cintura, é ele quem vai garantir que você conseguirá mergulhar quando o guia gritar "down, down, down, go, go, go" - é o alerta de que tem tubarão se aproximando da jaula por baixo d'água. Mas olha, as vezes é ainda mais emocionante ver o tubarão chegando perto da jaula com a cabeça para fora d'água - adrenalina pura!

Um tubarão tentando abocanhar a cabeça de atum que o guia usa para atraí-lo para a jaula.
E às vezes um consegue...
Mas calma, a verdade é que embora os tubarões avancem para cima da jaula, eles não estão com a intensão de atacar os turistas - tenho dúvidas se eles atacariam um humano tendo tanta coisa mais apetitosa por perto, mas vai saber, né? O fato é que logo que o barco para eles começam a preparar uma salmoura com resto de sangue, pedaços de peixes, vísceras e água do mar que é o que deixa os tubarões loucos. Essa gororoba fedida vai sendo jogada ao mar e cria um rastro para os tubarões que não demoram a se aproximar do barco. A atração final é uma cabeça de salmão presa a uma corda que o guia joga na frente da jaula e quando o bichão chega perto eles puxam na direção desta. Pronto, lá vem o grande branco de dentões arreganhados para cima dos turistas, garantindo fotos incríveis e picos de adrenalina.


Extasiados de alegria e adrenalina depois do primeiro mergulho!
É muito emocionante, de verdade, e das duas vezes que descemos saí da jaula a contragosto - parecendo criança sem querer sair da piscina kkkkk A dinâmica é simples: vão descendo todos de 7 em 7, e o tempo dentro da jaula dependo mais de quantas aproximações de tubarões aconteceram que do relógio. Depois que todos desceram eles liberam para quem quiser repetir, portanto, se quiser repetir a descida, nem tire a roupa ao sair da jaula e já fique ali por perto. No nosso passeio foram vistos oito tubarões diferentes (a contagem é deles, e sei que foi um bom número porque no quadro exposto na sede da empresa com o número de tubarões visto, a contagem do dia anterior estava em 4), e os maiores e mais bonitos foram os últimos a chegarem. O primeiro apareceu quando o guia ainda estava explicando a dinâmica, dizendo que era meio imprevisível, que não dava para saber se apareceriam muitos, que poderia demorar um pouco para começarem a aparecer e... ahhhhhh, começamos a gritar porque um botou a cabeça pra fora bem por trás dele. Dai pra frente foi um festival de tubarões brancos para nossa alegria.










Mas preciso dizer que o passeio não acontece todos os dias, e depende das condições do mar - leia-se, se a visibilidade está boa e se tem ou não tubarão. E quase perdemos o passeio por isso. No meu roteiro estava tudo organizadinho, saímos de Cango Caves no dia anterior, dormimos no caminho, e fizemos uma visita linda ao Cabo Agulhas e a Hermanus, chegando em Gansbaai no final da tarde para fazer a reserva do passeio para o dia seguinte. Não tivemos dificuldades em encontrar as empresas que fazem os passeios, elas estão aos montes próximo ao pequeno porto da cidade, mas, rá! Estavam todas fechadas - aliás, a cidade parecia uma cidade fantasma. Conversa aqui, conversa ali, descobrimos que o passeio estava suspenso desde o dia anterior e por mais 2 dias devido às más condições do mar. Pfffff!!! Que decepção! E fazer o quê? O roteiro não podia esperar. Bom, dormimos em um camping ali perto e no dia seguinte seguimos para Cape Town, onde ficamos por 3 dias e então voltamos a Gansbaai para fazer o passeio. Foi puxado, porque queríamos dormir em Gansbaai para não ter que acordar cedíssimo e pegar estrada para chegar lá, como a galera que faz bate-volta tem que fazer, mas era o único jeito de ir. Além do mais, de lá seguimos para o Karoo, e isso significou kms a mais para rodar. Mas olha, eu acho que tudo valeu a pena, e eu sempre pensava que não teria outra oportunidade assim, então era melhor aproveitar logo.

E preciso dizer também que só conseguimos fazer essa manobra porque não tínhamos nada reservado previamente, nem camping, nem passeios, o que nos deu muita flexibilidade para mexer no roteiro. É claro que é um risco não ter passeios reservados, mas eu estou convencida que é um risco que vale a pena considerar, e nesse caso foi vital para que conseguíssemos fazer o mergulho. O que indico é fazer contato por e-mail ou telefone com algumas empresas uns 2 ou 3 dias antes, para saber se os passeios estão acontecendo e qual o melhor dia para realizá-lo - se tivéssemos feito isso poderíamos ter ido direto para Cape Town e ganhado tempo.


Olha a atenção de Leti procurando os tubarões!!!

Caras amassadas!!! kkkkkkk

Eu tinha pesquisado algumas empresas ainda aqui no Brasil, mas lá tive a oportunidade de dar uma pesquisada melhor, e optamos pela Great White Shark Tour (www.sharkcagediving.net), e super recomendo. Achei tudo muito organizado e seguro, e embora ache que o serviço é meio padronizado mesmo, senti o cuidado e atenção deles excelentes. A empresa fica numa esquina, com a lateral praticamente de frente para o porto, e há uma área boa de estacionamento.


Fizemos a reserva e o pagamento pelo site, e acordamos 5 da manhã para seguir de Cape Town à Gansbaai. Eu já sabia que para quem está em Cape Town as empresas oferecem transfer pago a parte, e café da manhã na chegada. Mas como estávamos com veículo próprio e de lá seguiríamos viagem, claro que não pagamos pelo transfer, e achei que não teria direito ao café da manhã. Mas que nada, o café da manhã é excelente e está disponível a todos. Então, anota aí: onde quer que você durma, aproveite o café da manhã deles - prefira comer leve, mas coma! Depois que todos chegam e todas as explicações e demonstrações são feitas, seguimos para o porto para pegar o barco. A lancha tem dois andares, com lugares para todos irem sentados, e todos os assentos levantam a tampa e servem para guardar seus pertences, então não se preocupe quanto a isso.





Fonte da imagem: http://www.sharkcagediving.net
A viagem de barco dura uns 20 minutos, mas acontece em mar aberto, então balança, e dependendo do dia, balança muito. Nós tomamos Vonau (medicamento contra enjoo que tem a vantagem de não dar sonolência - consulte sempre um médico sobre a melhor opção para você) antes de sair, e nem eu, nem Leti tivemos problemas. Engraçado que Thiago, o mais adaptado ao mar da família, ficou meio enjoado na volta, mas creio que aconteceu porque ele exagerou do café da manhã - tem gente que acha que isso não influencia, mas olha, eu prefiro não arriscar: coma, mas coma leve, e tome um remedinho para enjoo (se está com criança confira a dosagem para elas antes de comprar - por exemplo, comprei Vonau de 4mg porque essa era a dose máxima para minha filha. Eu e Thiago tomamos 2 comprimidos). A bordo vimos muita gente passando mal, alguns sem condições sequer de fazer o mergulho, e dá uma pena danada. Além do balanço do mar, o cheiro da gororoba pra atrair os tubarões é terrível, e ainda  tem uns tais sanduíches servidos a bordo... sério, não sei como a galera consegue comer algo com aquele cheiro! Eu não senti nada, mas também nem pensei em comer. Aliás, nem precisa, porque ao chegarmos de volta à sede da empresa, além de banheiros limpos para tomar banho e trocar de roupa, tinha uma massa quentinha nos esperando. Voltamos para a estrada devidamente limpos e alimentados! 


Depois do segundo mergulho!

Sobre fazer esse passeio com crianças, primeiro é preciso analisar se a criança não ficará apavorada. Conversamos com Leti com bastante antecedência, e ela, que tem 10 anos, parecia muito tranquila. Mas na hora de entrar na jaula, já toda paramentada, bateu um receio e ela ensaiou desistir. Reforçamos que seria legal e ela ia se divertir, e ela entrou. Entretanto, sua altura não era suficiente para ela apoiar os pés na barra e manter a cabeça fora d'água, e isso a angustiou, fazendo-a choramingar pedindo para sair. Eu passei meu braço pela cintura dela e pedi que ela esquecesse a barra dos pés e se concentrasse em segurar a barra superior e tentar manter o rosto fora da água. Pronto, aos poucos ela relaxou e curtiu muuuuito o contato com os enormes tubarões, tanto que saiu da jaula gritando que queria ir novamente!!!


Não sou de comprar fotos e vídeos de passeios, quase sempre acho que não valem a pena, mas esse eu resolvi comprar porque os tubarões são muito rápidos e é difícil mesmo conseguir boas fotos. Além disso, nossas fotos subaquáticas, feitas com a GoPro, ficaram pouco visíveis (como dá pra perceber),  bem menos que o que vimos lá, e suspeito que tenha sido barbeiragem nossa... Então eu recomendo sim a compra do vídeo, para se ter uma recordação legal dessa aventura.

Fizemos o mergulho com tubarões em 20/01/2017 em Gansbaai
Great White Shark Tour (www.sharkcagediving.net)
Adulto: 1.700 rands
Criança: 1.100 rands

Nenhum comentário: